AS Roma 1-2 Napoli; Pequeno Mertens foi gigante!

O jogo começou por ter a AS Roma com mais bola e à procura de marcar golo pelo próprio pé. O Nápoles foi matreiro e aproveitou dois erros individuais dos romanos para Mertens bisar. E no fim foi aguentar, aguentar, aguentar e ter um Reina a encher a baliza.

Por Rui de Sousa

Mertens marcou desta forma o seu primeiro golo no jogo.

O jogo: Contragolpes de Sarri venceram a posse de bola de Spaletti

O foco para este jogo era simples e comum: vencer para se aproximarem da líder Juventus. A Roma entrou com mais vontade mas isso revelou-se um trunfo para os napolitanos que limitaram-se a ser matreiros na altura do contragolpe.
Um desses contra-ataques revelou-se vital para o Napoli chegar-se na frente do marcador. Bola conduzida por Hamsik. o eslovaco faz um grande passe a desmarcar Mertens e o avançado adaptado apenas perante o guardião Szczesny, penteou a bola e fez um chapéu para inaugurar o marcador. A AS Roma sofreu com o golo e os erros foram surgindo em maior número. Após um erro individual do central Fazio ainda no meio-campo defensivo, quem aproveitou foi outra vez Hamsik para lançar Insigne na esquerda. O italiano temporizou na quina da área e cruzou com qualidade para o segundo poste onde apareceu novamente o “rato” Dries Mertens a marcar o golo. Ao intervalo 2-0, justos pelo modelo de jogo ensaiado pela equipa de Sarri.

No segundo tempo mais AS Roma que lutou, teve mais bola mas nunca ameaçou verdadeiramente a baliza de Pepe Reina. Só com a entrada do egípcio Salah é que os romanos conseguiram criar mais e melhores oportunidades. Primeiro Perotti obrigou a excelente intervenção do guardião espanhol, depois Strootman fez o gosto ao pé desviando a bola junto ao poste. A mesma sorte não teve Salah que com a mesma colocação viu a bola acertar em cheio no ferro e, no minuto 93, foi novamente Reina a salvar o Napoli com uma super defesa a dois tempos.

Vitória por 2-1 para o Napoli que com este resultado se aproxima do rival direto AS Roma.

 

Destaques: Mertens e Reina, o Napoli de frente para trás

Dries Mertens: Tal como em outros tempos Fabrizio Miccolli, também pode ser apelidado de “pequeno bombardeiro”. O internacional belga tem sido uma boa surpresa na posição mais avançada do terreno e hoje voltou a não desapontar. Dois golos, muita velocidade e um perigo constante para os centrais romanos. E lá vão 16 golos na Serie A.

Pepe Reina: Para alguns, o guarda-redes espanhol está acabado. Não podiam estar mais errados! Se os napolitanos podem agradecer a Mertens a vitória, também o deveriam fazer com Reina. O internacional espanhol fez duas fantásticas defesas, ambas a remates de Perotti, e segurou a margem mínima. Reflexos e instinto ao mais alto nível!

Perotti e Mertens, o melhor de cada uma das equipas.

Diego Perotti: foi o mais inconformado dos romanos. Pediu bola, foi tentando abrir espaços na defesa do Nápoles e ainda fez um par de remates muitos perigosos. Infelizmente para ele, encontrou um Reina muito inspirado. Merecia melhor sorte!