F1: Ligação Directa ao 5º Título Mundial

A Sport On Stage regressa dum período de férias, com a F1 ao rubro e um 5º título mundial a desenhar-se para Lewis Hamilton.

Por Diogo Santos

O circo da Fórmula 1 chegou a Spa Francorchamps e Sebastian Vettel (Ferrari) sorriu. Lewis Hamilton (Mercedes) fez a pole, os Force India, de cara renovada, ocuparam a segunda linha, mas o alemão superiorizou-se nas 44 voltas, num dia marcado pelo Halo. Na primeira curva um grande acidente sucedeu-se e o “patinho feio” salvou a vida a Charles LeClerc (Sauber). Nico Hulkenberg (Reanult) foi o protagonista do acidente e Fernando Alonso (Mclaren), Kimi Raikkonen (Ferrari) e Daniel Riccardo (Red Bull) ficaram também eles fora da corrida após terem sido directamente ou indirectamente lesados pelo mesmo acidente. 15 carros terminaram a prova com os dois Force India e os dois Haas nos pontos.

O incidente, provocado por Nico Hulkenberg.

Após um triunfo autoritário na Bélgica, esperava-se dobradinha da Ferrari em casa. Kimi Raikkonen fez o tempo mais rápido da qualificação, comprovando fazer sentido os rumores de então na sua continuidade em 2018 na Scuderia. O colega de equipa seguiu-o, com os dois Mercedes imediatamente atrás de si.

Na partida, um sentimento de desespero invadiu Sebastian Vettel. Tentou ultrapassar Raikkonen na primeira curva, obrigando o finlandês a queimar a travagem e, quando viu Lewis Hamilton colocar-se lado-a-lado, chocou com o britânico, tendo o alemão sido o único prejudicado. Caiu a último e Lewis Hamilton ultrapassou Kimi Raikkonen, mas o piloto da Ferrari respondeu na mesma moeda poucas curvas depois.

Desengane-se quem julgou que Kimi teria caminho livre para a vitória. Ter, até teria, se a equipa não colocasse ao finlandês a pior estratégia possível. Parou cedo, à 21ª volta, e perdeu uma imensidão de tempo atrás de Valtteri Bottas, o que teve igualmente como consequência um desgaste mais acentuado e rápido dos seus 4 pneus macios. À 45ª volta o esperado sucedeu-se. Lewis Hamilton tomou a liderança da prova, não mais a largando. Atrás, Max Verstappen (Red Bull) não estava bem-disposto com Bottas e provocou dois acidentes pelos quais viria a ser penalizado. O 3º lugar do pódio acabou por ficar na posse do piloto finlandês da Mercedes, com Sebastian Vettel a fechar em 4º.

Classificação final do Grande Prémio.

À entrada do Grande Prémio de Singapura, Pedro Nascimento, comentador da modalidade na Sport Tv, dissera na mesma estação que Sebastian Vettel só podia ser o favorito à vitória. Mas o experiente comentador não conseguiu acertar mais uma vez na sua aposta, numa prova-viva da competitividade a que o campeonato este ano está sujeito.

Lewis Hamilton fez um impensável 1:36:015 minutos na qualificação e não deu hipótese na corrida. A Ferrari ia ficando pela Q2 após colocar em pista os seus carros com pneus Ultra Macios. Com os Hyper Macios, Vettel ocupou a 3ª posição e Kimi, já dispensado pela Scuderia para 2018 e contratado pela Sauber por 2 anos, no 5º lugar. Logo à primeira volta a tradição do Safety Car cumpriu-se, após acidente entre os dois Force India, saindo Esteban Ocon como lesado, abandonando.

Vettel ascendeu à 2ª posição após ultrapassar Max Verstappen e passo a estar visível nos visores do líder. Parou, à volta 15, trocando para pneus Ultra Macios. Depois dessa troca descabida, não mais se viu o alemão em prova. Lewis Hamilton venceu, com Max em 2º. Vettel subiu ao pódio, com 40 pontos de desvantagem para o vencedor. Bottas segurou o 4º lugar após Kimi morder-lhe os calcanhares durante largas voltas. Fernando Alonso (Mclaren) foi o melhor dos outros, no 7º lugar, com a 4ª melhor volta da corrida. No 2º pelotão, Sergio Perez (Force India) arranjou outro incidente, desta feita com Serge Sirotkin (Williams). Um fim-de-semana para esquecer para o mexicano e para a sua equipa.

19 carros terminaram a tradicional prova nocturna do calendário.

A Fórmula 1 segue para a Rússia, onde se espera mais novidades quanto à grelha de pilotos para 2019. Certa está a dispensa de Raikkonen da Ferrari com a promoção de Charles LeClerc. Como se dispensa o 3º piloto do campeonato, o mais regular da equipa e o sempre sacrificado? Quem vai andar a afinar e a experimentar peças no carro e dar um feedback preciso e precioso? Sebastian Vettel? Explicações, precisam-se.

Após anunciada a aposentaria de Alonso e a ingressão de Carlos Sainz Jr. e Lando Norris (da formação da equipa) na “sua” equipa, espera-se novidades quanto à formação da Force India e da Toro Rosso. Com estas alterações, podemos ver Robert Kubica de volta ainda este ano (montando num dos Williams) e, em 2019, de novo a língua portuguesa no paddock… Será 2019 o ano de António Félix da Costa? A hipótese está em cima da mesa da Toro Rosso. Rezemos!

Lewis Hamilton lidera o campeonato já com uma larga vantagem.

Grande Prémio da Rússia para acompanhar na Sport Tv de 28 a 30 de Setembro.