Rampa da Penha é prova de abertura do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group

Rampa da Penha é prova de abertura do Campeonato de Portugal de Montanha JC Group
Fotografia: Ivo Carvalho

No próximo fim-de-semana, de 6 e 7 de Abril, cabe novamente ao Demoporto as honras de abertura, com a organização da Rampa da Penha Paisagem Protegida

Quase meia centena de inscritos dão conta da vitalidade de um campeonato que, época após época, cresce de importância desportiva e mediática no panorama dos desportos motorizados nacionais. Serão oito provas, num périplo por Portugal Continental, com início em Guimarães e passagens por Braga, Santa Marta de Penaguião, Serra da Estrela, Caramulo, Murça, Serra da Arrábida e Boticas.

A prova montada pelo Demoporto na Penha apresenta o traçado habitual, tendo sido reforçada a segurança, com a montagem de mais 600 metros de rails. Quanto ao programa, o dia de sábado arranca às 14 horas, com o ‘warm-up’, seguindo-se duas subidas oficiais de treinos e a primeira de prova.

As “hostilidades competitivas” retomam no domingo, às 10 horas, com nova sessão de ‘warm-up’. Segue-se mais uma subida oficial de treinos, para o programa finalizar com as duas subidas finais de prova, antes da entrega de prémios prevista para o fecho da manha.

Estabilidade nas regras, tendo apenas como novidade positiva a introdução de dois pontos extra por prova, para os pilotos que cumpram todas as subidas de treino e de prova, garantindo o espectáculo para o público.

Consolidação do número de pilotos e da qualidade de “montadas”, eis o cenário muito positivo com que a “família” da montanha encara o arranque deste Campeonato de Portugal de Montanha JC Group.

Assiste-se à continuidade de grande parte do plantel, apesar de algumas ausências de peso mas compensadas por regressos e novidade de grande nível, dando o mote para uma época que muito promete. Fora das contas deste campeonato, estão o actual campeão absoluto, Rui Ramalho e ainda de um dos “bravos” dos Turismos, Manuel Correia.

Mas é logo entre os rápidos protótipos que se assiste a um dos regressos aguardados: está de volta João Fonseca, com um Silver Car apoiado pelo Sporting da Covilhã e que irá medir forças com o actual campeão GT e vice-campeão absoluto José Correia, que assumirá os comandos do Osella PA2000 Evo2 campeão nacional.
Nesta categoria, serão ainda presenças de vulto Hélder Silva, num Juno renovado, Nuno Guimarães, no seu habitual BRC e Joaquim Rino, também num BRC, de quem se espera regularidade nas participações. Gonçalo Manahu aparece na Penha como único participante na Categoria GT.

Nos Turismos, Luís Nunes vai colocar a sua rapidez ao serviço do Ford Fiesta R5+ ex-Manuel Correia. O sempre rápido Hugo Araújo está de volta com um Subaru Impreza e o transmontano Joaquim Teixeira renova a aposta no SEAT Leon Mk3. Gabriela Correia continua a sua evolução com o SEAT Leon Mk3 da JC Group Racing Team, Parcídio Summavielle também não mexe na opção de carro, confiando no Renault Clio, o mesmo fazendo o bracarense Sérgio Nogueira, sendo ainda de realçar que Pedro Marques volta a querer chegar-se aos lugares cimeiros com o Leon e está de regresso às lides da montanha Ricardo Gomes, apostando num Mitsubishi Lancer Evo X. Em carros idênticos ao de Gomes, também alinham na Penha Alberto Pereira e Manuel Pereira. Luís Silva volta a apostar no BMW M3, verdadeiro “monstro sagrado” do campeonato e garantia certa de espectáculo. Com carros da marca bávara, estão também na prova de arranque Rui Pinheiro, José Carlos Guimarães e Miguel Gonçalves. Novidade é ainda a passagem de José Pedro Gomes dos clássicos para o campeonato principal. Na Penha, o conhecido causídico nortenho vai alinhar num Kia Rio mas, tudo o indica, fará as restantes provas da época num Opel Astra OPC que respira muita potência. Será de certeza outro favorito a ter em conta. Já Luís Rocha vai competir esta época com o Audi RS3 que foi tripulado por Luís Nunes em 2018. Por sua vez, João Guimarães vai arrancar a época com o Peugeot 206 RC e Jorge Meira está de volta com um Seat Leon.

“Patrão” fora no Campeonato de Portugal de Clássicos de Montanha, torna a luta muito mais aberta. Destaque e aplauso para o regresso do Datsun 240Z de Parcídio Summavielle, que vai assim tripular dois carros em cada prova. A ele junta-se o Caramulo Racing Team, com os Ford Escort MKII de Cernando Salgueiro e Ricardo Loureiro e o regressado Carlos Alberto Oliveira, num potente Ford Sierra Cosworth. António Torres da Silva (BMW) pode também ousar intrometer-se na luta pelo cetro de campeão. Por seu lado, Augusto Vasconcelos é outro nome na luta, renovando a aposta no Ford Escort MKI da JC Group Racing Team. Rui Gama (Austin) e Carlos Fava (VW) continuam a enriquecer o plantel do campeonato o mesmo fazendo José Pedro Miranda, com o seu Toyota Celica.

Na Taça de Portugal de Montanha 1300, são quatro os inscritos. João Diogo Santos (FIAT Punto), Francisco Milheiro (Peugeot 106), Paulo Pereira (Suzuki Swift) e Cláudio Batista (Toyota Starlet) vão iniciar a batalha para suceder ao ausente Leonel Brás na conquista do troféu.

Já nos clássicos até 1300, a novidade é a participação do Simca Rallye 3 do espanhol Clemente Arroyo, que via medir forças com os habituais “montanhistas” Domingos Fernandes (Autobiachi A122) e José Pedro Figueiredo (Datsun 1200).

Em termos regulamentares, foi instituído o prémio Fans Cup, promovido pelo grupo Portugal Hill Climb Fans, com o apoio da APPAM, que será atribuído ao piloto com a menor diferença entre os seus dois melhores tempos no conjunto das três subidas de prova.